O papel dos leigos na Igreja e na sociedade

A Associação dos Seguidores de São Judas é composta por leigos de boa vontade, homens e mulheres que vivem inseridos na sociedade e que não são padres nem freiras, religiosos e nem religiosas.

Recordamos aqui as palavras do Papa Francisco sobre a importância dos leigos na Igreja e na sociedade.

A imensa maioria do povo de Deus é constituída por leigos. Cresceu a consciência da identidade e da missão dos leigos na Igreja. Embora não suficiente, pode-se contar com um numeroso laicato, dotado de um arreigado sentido de comunidade e uma grande fidelidade ao compromisso da caridade, da catequese, da celebração da fé. Mas, a tomada de consciência desta responsabilidade laical que nasce do Batismo e da Confirmação não se manifesta de igual modo em toda a parte. Apesar de se notar uma maior participação de muitos nos ministérios leigos, este compromisso não se reflete na penetração dos valores cristãos no mundo social, político e económico; limita-se muitas vezes às tarefas no seio da Igreja, sem um empenho real pela aplicação do Evangelho na transformação da sociedade. A formação dos leigos e a evangelização das categorias profissionais e intelectuais constituem um importante desafio pastoral.

A Igreja reconhece a indispensável contribuição da mulher na sociedade, com uma sensibilidade, uma intuição e certas capacidades peculiares, que habitualmente são mais próprias das mulheres que dos homens. Por exemplo, a especial solicitude feminina pelos outros, que se exprime de modo particular, mas não exclusivamente, na maternidade.

É preciso ampliar os espaços para uma presença feminina mais incisiva na Igreja. Porque o gênio feminino é necessário em todas as expressões da vida social; por isso deve ser garantida a presença das mulheres também no âmbito do trabalho e nos vários lugares onde se tomam as decisões importantes, tanto na Igreja como nas estruturas sociais.

Papa Francisco - Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, nº 102 e 103.


As sementes iniciais da Campanha aos Pobres foram regadas com as lágrimas do Dr. Martin Luther King. Isso aconteceu na primeira vez que o Dr. King presenciou a desprezível pobreza. Como um jovem que morava em um lar religioso durante toda sua vida, ele rompeu em lágrimas na primeira vez que presenciou tal pobreza. Ver as crianças famintas, sujas, doentes, definhando, vasculhando na terra suja em busca de alimentos, o coração dele se quebrou e ficou determinado em dedicar sua vida para fazer a diferença aos pobres... às pessoas realmente pobres. A Campanha aos Pobres nasceu quando o Dr. Martin Luther King Jr. presenciou a dor, sofrimento e a desprezível pobreza pela primeira vez. Por suas lágrimas, a Campanha aos Pobres nasceu como uma fonte de refúgio e esperança para os desfavorecidos e pobres ao redor do mundo... e agora estamos indo ao Brasil. Agora é a hora do Brasil! 

A Campanha pelos Pobres tem como objetivo: 

• Cuidar dos pobres do Brasil; 

• Fortalecer os pobres do Brasil; 

• Ensinar os pobres do Brasil; 

• Alimentar os pobres do Brasil. 

Na missão de ajudar os carentes e desfavorecidos do Brasil, que perderam todas as esperanças, os seguidores de São Judas Tadeu ofereceram sua parceria na Campanha pelos Pobres que ocorrerá no país. São Judas é o Santo das causas perdidas, para aqueles que perderam toda a esperança. Estamos rezando para que essa parceria traga uma esperança renovada para aqueles que a perderam. Estima-se que 50 milhões de pessoas vivam abaixo do nível de pobreza no Brasil. Isso significa milhões de crianças carentes vivendo sem as necessidades básicas de vida. 

Em 1967, o Dr. Martin Luther King, Jr. reuniu sua equipe e organizou o início da Campanha pelos Pobres para o ano seguinte (1968). O propósito foi o de exigir, junto às autoridades do governo,“empregos, seguro-desemprego, um salário mínimo justo e educação” para os adultos e crianças pobres, para que pudessem melhorar suas condições de vida nos Estados Unidos e ao redor do mundo. 

Sob a liderança do Dr. Charles Steele Jr., a Conferência da Liderança Cristã do Sul (SCLC) reconhece que os mesmos problemas que existiam para os pobres décadas atrás ainda existem hoje. Portanto, a SCLC está trazendo a nova Campanha pelos Pobres para o Brasil. Os nomes das crianças nesta carta foram alterados para proteger sua privacidade. Muito obrigado pelo seu apoio.